Vestibular

Vinícius de Moraes – Segunda Fase Poesias, Características das Obras







Vinícius de Morais é um dos mais fantásticos escritores da Literatura brasileira. Sua Obra foi dividida em três fases distintas com características e forma diferentes.

Hoje iremos explicar um pouco sobre sua segunda fase da Obra de Vinícius, leia os Sonetos de Maior Amor e Soneto de Fidelidade  e veja características de suas poesias.

Segunda Fase da Poesia de Vinícius de Moraes

O escritor tem um novo tom e linguagem, novas formas e temas, os quais vinham desde Novos poemas, de 1933. As obras: Poemas, sonetos e baladas (1946) e Novos poemas II (1959) mostram tanto as formas clássicas (soneto de tradição camoniana e shakespeariana) quanto a poesia livre (em “A última elegia”, os versos têm forma de serpente). Entre as inovações estão a inventação de palavras, muitas vezes bilíngues, pratica da oralidade e a já comentada aproximação da Forma Clássica com o jeito e intenção do Modernismo.

Esa Fase é conhecida como “O encontro do cotidiano pelo poeta”, pois há uma renúncia à superstição e ao purismo muito presentes na primeira, e também uma tendência para uma atitude mais brincalhona e amorosa perante a poesia.

Nessa passagem do metafísico para o físico, do espiritual para o sensual, do sublime para o cotidiano, Vinícius retoma sugestões românticas (como lua, cidade, samba). Há uma grande inclinação ao erotismo – com a contemplação do amor, poemas “sobre a mulher” e adoração panteística da natureza. Além disso compôs poemas de indignação social: “Balada dos mortos dos campos de concentração”, “O operário em construção” e “A rosa de Hiroxima”.

Leia agora dois Poemas dessa Segunda Fase e procure identificar algumas das características dessa Fase:

Soneto de Maior Amor

Maior amor nem mais estranho existe
Que o meu, que não sossega a coisa amada
E quando a sente alegre, fica triste
E se a vê descontente, dá risada.

E que só fica em paz se lhe resiste
O amado coração, e que se agrada
Mais da eterna aventura em que persiste
Que de uma vida mal aventurada.

Louco amor meu, que quando toca, fere
E quando fere vibra, mas prefere
Ferir a fenecer – e vive a esmo

Fiel à sua lei de cada instante
Desassombrado, doido, delirante
Numa paixão de tudo e de si mesmo.

Soneto da Fidelidade

De tudo, meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.
Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento.
E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama
Eu possa me dizer do amor ( que tive ) :
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.

(Antologia poética)


Assuntos do Artigo:
  • caracteristicas das obras de vinicius de moraes
  • caracteristicas de vinicius de moraes
  • vinicius de moraes caracteristicas
  • características da obra de vinícius de moraes
  • CARACTERISTICAS LITERARIAS VINICIUS DE MORAIS
  • vinicius de moraes características das obras

Comente Via FaceBook

Comentários

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.