Meio ambiente e Ecologia

Rio+20 – Contradições da Sustentabilidade na Atualidade, Economia Verde







Neste mês, Julho de 2012, aconteceu  a Conferencia das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável, sediada no Rio de Janeiro – a RIO +20. As discussões serão voltadas para dois temas básicos: a Economia Verde no contexto do desenvolvimento sustentável e da erradicação da pobreza.

Para muitos estudiosos e especialistas em ecologia a questão da Sustentabilidade e do que é feito para que o mundo torne-se mais sustentável ainda está longe de ser uma prioridade unanime entre os países. Além disso, há  debates quanto ao rumo da conferencia que irá priorizar temas de ordem econômica e sociais, mas não temas ambientais propriamente ditos.

Rio + 20

Durante todo o desenvolvimento no Século XX e na atualidade, seculo XXI, houve muitos ganhos econômicos, científicos, tecnológicos e varias melhorias sociais (obviamente não atingiram patamares excelentes, mas já houve mudanças). Entretanto, no quesito ambiental só houve perdas e destruições gigantescas – acentuado desmatamento da Amazônia, da Mata Atlântica, poluição de rios e oceanos, especies animais e vegetais que estão entrando em extinção, poluição do ar e aquecimento global.

Foco na discussão Ambiental

Diante disso, a prioridade das discussões dessa reunião (Rio+20) deveria voltar-se para o âmbito Ambiental que por mais que nos últimos anos venham ganhando mais espaço, ainda estão subjugadas aos interesses políticos e econômicos dos governantes das nações e das influentes empresas – mais interessadas em ampliar lucros, PIB, Exportações, etc.

 Uma reportagem do Jornal O Estado de Sao Paulo, da edição de 30 de Maio, deixou claro por meio da opinião de especialistas, declaradas em um debate promovida pela radio ESPN e a Fundação GV, que a Sustentabilidade está “fora da agenda” dos debates da Rio+20. E aqui insere-se as Contradições da Sustentabilidade na Atualidade …

Na atualidade tudo associa-se `a economia/ dinheiro, as politicas governamentais buscam cada vez mais aumentar o PIB e tornar o pais inserido no mercado Global como potencia. Mas em oposição a isso estão as necessidades mais básicas de um povo em desenvolvimento como o Brasil, que ainda tem péssimos níveis educacionais e de saneamento básico por exemplo. Neste ano foi anunciado que o Brasil era a sexta economia do mundo, porem no índice de desigualdade social so’ perdia para Serra Leoa (pais paupérrimo que quase nem tem economia).

Nesse dilema do Social x Ambiental, vemos que as os incentivos maiores estão no Estímulo ao Consumo (o que é provado pela recente redução de impostos para venda de veículos, além dos altos investimento no Pré-Sal (fonte de energia poluente, o petróleo, totalmente contrário aos ideais tecnológicos da energia renovável, entre tantos outros fatores como o quase aceito “Novo Código Florestal” que era um total descaso a ecologia). E enquanto essas forem as prioridades, a transição para uma Economia Verde, mais consciente e equilibrada, fica prologada indefinidamente.

Economia verde

A Economia Verde e os investimentos na Sustentabilidade podem, por excelência, unir em si grandes vantagens para a melhoria da qualidade de vida das pessoas – tanto em questões de saúde com a menor poluição e melhor sistema de coleta de lixo, como criando trabalhos na coleta seletiva e reciclagem, novos mercados de trabalho e pesquisas voltados ao desenvolvimento de novas fontes e utilidades de energias renováveis, e outros.

Para se exemplificar o quanto as questões ambientais são diminutas em nosso pais veja que (segundo reportagem do Estado de Sao Paulo): o índice de coleta seletiva no Rio de Janeiro (grande centro econômico do pais, localizado na maior área de investimentos governamentais – o Sudeste – e a sede de eventos internacionais como a Rio+20) é de apenas 0,3%.

O que imaginar então de índices de tratamento de resíduos e lixo em locais menos valorizados? E a questão do Saneamento básico? Isso realmente é de se preocupar, pois um pais com as reservas naturais que nos temos deveria-se no mínimo cuidar de seus bens!

Para finalizar cito um trecho de uma reportagem do site Ecopolitica sobre “O Caminho para a RIO + 20 est errado” que ilustra bem a realidade:

(…) os governos buscam ganhos macroeconômicos de curto prazo e não têm visão de longo prazo. Mas nem a produtividade, nem a competitividade, nem o crescimento podem ser sustentados a longo prazo, se não houver investimento significativo em sustentabilidade ambiental e no bem-estar durável da população.

Sustentabilidade implica gestão responsável dos recursos naturais, redução drástica das emissões de gases-estufa, mudança do padrão energético, gestão integral de resíduos, mudanças estruturais nos padrões de produção, preservação integral do patrimônio natural remanescente, recuperação da cobertura vegetal e da qualidade dos mananciais, aquíferos e cursos de água. Bem-estar durável pressupõe melhoras significativas em educação, saúde e nutrição.

** E você ? O que pensa da Questão da Sustentabilidade na Atualidade? Deixe seus Comentários sobre a RIO + 20 e sobre o Tema da Economia Verde aqui no Not 1… 

Comente Via FaceBook

Comentários

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

1 Comentário

  1. Luks disse:

    Achei muito interessante

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.