Vestibular

“O Bem-Amado” de Dias Gomes – Resumo, Análise Crítica para Unicamp







O livro “O Bem-Amado” que fez sucesso não só nas livrarias, mas na televisão e cinema de todo o Brasil, é a aposta de Unicamp para o vestibular de 2018. O livro é uma peça de Dias Gomes, escritor Baiano que retrata o típico político astuto que não mede esforços para atingir seus objetivos.

E o que Odorico Paraguaçu, novo prefeito de Sucupira, mais deseja fazer é inaugurar o primeiro cemitério da cidade! Será que vai dar certo? O que podemos extrair dessa obra para uma prova de vestibular? Confira tudo isso e muito mais no Not1!!

Resumo do Livro ‘O Bem-Amado’

Tudo começa com uma morte, um cidadão de Sucupira morre e é preciso viajar léguas, até se chegar em outra cidade, para enterrá-lo. A situação comove os moradores e aguça o interesse de Odorico Paraguaçu, que usa da situação para fazer um discurso, que atrai a população. Nesse discurso ele diz que se for eleito prefeito nas próximas eleições, o povo de Sucupira poderá ficar em paz, porque haverá um cemitério na cidade.

Sua principal e única proposta de campanha faz sucesso e ele é eleito Prefeito. Logo que assumiu seu posto, colocou seus conhecidos em cargos públicos e desviou verba para a construção do cemitério, cumprindo realmente sua promessa eleitoral.

Apesar de ter tirado dinheiro da saúde, educação, manutenção da cidade e pagamento de salários, Odorico constrói um local de repouso eterno para os moradores, mas não consegue inaugurar sua obra devido à súbita ausência de mortes em Sucupira.

A falta de mortes começa a preocupar e o prefeito começa a planejar ações nada éticas para superar esse imprevisto. Afinal "os finalmentes justificam os não obstantes".

Quando descobre que um primo de uma de suas correligionárias está com pneumonia, a ponto de morrer, gasta uma fortuna e move todos os órgãos públicos para trazê-lo a Sucupira, o motivo divulgado é proporcionar uma recuperação tranquila, mas seu verdadeiro objetivo é que o moço morra e inaugure seu cemitério. Realmente o jovem estava a ponto de morrer, mas passados três meses o ar da cidade, a água da cidade e o clima da cidade fizeram o estado de saúde do homem melhorar, a ponto de estar 100% recuperado e voltar para sua cidade natal pouco tempo depois.

A situação deixa o prefeito nos nervos, fazendo com que ele recorra a Zeca Diabo, um cangaceiro arrependido, ex-morador da cidade que fugiu por ter assassinado todos de uma determinada família por vingança da morte de seu parente. Zeca Diabo é convocado por Odorico para assumir o cargo de Chefe de Polícia e ainda receber ‘perdão’ sobre seus antigos crimes. O objetivo do prefeito é que este volte a sua antiga prática homicida, permitindo finalmente inaugurar o cemitério local.

Infelizmente, ou felizmente, Zeca Diabo está realmente recuperado de seu passado e se faz um ótimo chefe da polícia. Odorico começa a sofrer as pressões da população e do Jornalista da cidade, um rapaz que sabe muito bem dos objetivos do prefeito.

Certo dia, em um ataque de fúria diante de uma reportagem sobre sua pessoa, Odorico arma um plano terrível. O prefeito tinha engravidado a mulher de Dirceu Borboleta, homem que tinha feito voto de castidade eterno.

Odorico tranquiliza o coração da mesma, dizendo que no final tudo dará certo, mas pede para que ela vá ao escritório do jornalista da cidade pedir que este não publique mais mentiras e injúrias sobre seu governo. A moça vai e ao mesmo tempo seu marido chega ao gabinete, desconfiado, já que recebera cartas anônimas a respeito de sua esposa. O prefeito, querendo se livrar de dois problemas, afirma para Dirceu que sua esposa tem um caso com o jornalista, e que se ele precisa de provas concretas, basta ir até o escritório.

Odorico entrega a Dirceu uma arma, e garante ao homem que se este cometer um crime, não será preso, pelo contrário, terá sua proteção. Dirceu chega ao escritório do jornalista e encontra sua mulher com Neco. Ele derruba seus óculos e acaba atirando por todo lado. As balas atingiram sua esposa, que morre.

E aí vem o fim da história… Odorico não protege Dirceu, pelo contrário, indica a Zeca Diabo onde ele se esconde. Já em relação a morte de Dulcinéa, prepara tudo do funeral com imensa alegria. O que ele não esperava é que um tio distante vem ao velório, e mostra uma carta da família de Dulcinéa, afirmando que o corpo dela deve ser enterrado em um mausoléu da família, em outra cidade.

O prefeito fica louco. Suas armações começam a falhar e ele dá seu último golpe: quer cometer um atentado contra si mesmo, para ganhar a confiança do povo novamente. Chama Zeca Diabo para simular o atentado, mas este, não aceita a proposta, pelo contrário, se sente insultado e acaba por matar Odorico com um tiro.

Por fim, o primeiro a inaugurar o cemitério de Sucupira foi o próprio prefeito, idealizador do projeto.

Análise Crítica

O livro nada mais é do que uma sátira da Política Nacional. O livro é em formato teatral, de fácil e rapida leitura. Dias Gomes, um dos maiores dramaturgos que o país teve, consegue expor com muita frieza a cruel realidade da política até os dias de hoje – a peça é de 1962!

Paraguaçu é carismático, discursa “bonitamente”, e consegue ir levando a cidade. Exatamente como acontece com alguns de nossos governantes, que podem fazer qualquer coisa, mas continuam com a simpatia das massas (até que alguém apareça e mude isso – muitas vezes a imprensa, como no livro).

O bem-amado lança luz sobre a demagogia, os delírios de grandeza e a tirania ainda tão presentes no Brasil. Antes de mais nada, "O Bem-Amado" ainda é um texto delicioso para todas as idades e que se lê com prazer de uma só vez, sem conseguir parar!

**Gostouo? Nós da equipe NOT1 esperamos que sim!! Comente!!!

Assuntos do Artigo:
  • o bem amado unicamp

Comente Via FaceBook

Comentários

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.