Governo Federal

Novo Governo Temer, Dilma Sofre Impeachment 11/05/2016







Novo Governo Temer, Dilma Sofre Impeachment 11/05/2016 Hoje pode se considerar o fim da era PT. Tanta corrupção, Delações na Lava Jato, montram até onde pode chegar a corrupção no Brasil. Políticos corruptos, trabalham em causa própria. Enriquecimento ilícitos e muito mais…. Hoje o povo brasileiro pode comemorar mais um capítulo da história do Brasil.

Segundo Impeachment: Collor e Dilma.

Collor e Dilma-Impeachment

Dois presidentes do Brasil passam pelo Impeachment: Collor em  1992   e Dilma em 2016.

Confira a trajetória da Presidente Dilma Roussef

Em 26/10/2014 –   A presidente Dilma Rousseff (PT) é reeleita. Logo após o resultado, partidários de Aécio Neves (PSDB), derrotado nas urnas, entoam gritos de 'impeachment' na Avenida Paulista, em São Paulo. Do outro lado da via, petistas celebram a vitória.

Em 1/1/2015 –  A presidente toma posse e reafirma que combaterá a corrupção em seu segundo mandato.

Com o início da Operação Lava Jato, muitos políticos foram desmascarados e se tornou público do povo brasileiro o tamanho da corrupção no Brasil. Entre políticos, empresários, grandes empreiteiras, desvio de dinheiro, licitações fraudulentes, etc  

O juiz Sérgio Moro, ganhou notoriedade na Operação Lava Jato, desmascarando a todos os corruptos envolvidos.

Em 13/3/2016 –  O Governo Dilma é alvo do maior protesto nacional pelo impeachment. Em mais de 300 municípios, ao menos 3,6 milhões de pessoas vão às ruas, segundo a PM. Para os organizadores, são mais de 6,9 milhões de manifestantes.

Em 16/3/2016 – O Supremo  mantém as regras definidas para o impeachment, abrindo caminho para o início do processo. No mesmo dia, Lula é anunciado como ministro-chefe da Casa Civil. O juiz Sergio Moro derruba sigilo do processo a que ele responde na Lava Jato e divulga áudio de grampo entre ele e Dilma, no qual a presidente diz que está enviando um 'papel' em 'caso de necessidade'.

Em 14/4/2016 – A AGU vai ao Supremo para tentar barrar o impeachment. A alegação é que houve lesão ao 'direito de defesa'. Ao todo, cinco pedidos tentam barrar a votação ou alterar a ordem de votação dos deputados estabelecida por Cunha. O Supremo nega todos os pedidos e mantém o processo em andamento. O recurso da AGU foi negado por unanimidade.

Em 16/4/2016 – Representantes dos 25 partidos falam no plenário da Câmara em sessão iniciada na sexta e encerrada apenas na noite de sábado. É a sessão mais longa já realizada na história da Casa.

Em 17/4/2016 –  Com 367 votos a favor, processo de impeachment contra Dilma passa na Câmara e segue para o Senado.

Em 6/5/2016 – A comissão especial do Senado aprova, por 15 votos a favor e 5 contrários, o relatório do senador Antonio Anastasia (PSDB-MG) favorável ao prosseguimento do processo de afastamento da presidente Dilma

Hoje, 11/5/2016 –  Os Senadores votam abertura do processo de impeachment e afastamento da presidente

*** Caso isso se confirme, Dilma será afastada de imediato da função de presidente por até 180 dias, quando o Senado voltará a votar e precisará de dois terços para o afastamento definitivo da presidente. No período dos seis meses subsequentes à votação desta quarta-feira, o vice Michel Temer assume o cargo interinamente. Fonte: G1

Assista ao Vivo TV SENADO

Comente Via FaceBook

Comentários

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.